Como são escolhidos os vencedores do Oscar?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Com a virada do ano, a 86ª edição do Oscar fica mais próxima. Marcada para o dia 2 de março, a maior premiação de cinema cria expectativas e, como sempre, discussões quanto aos favoritos, indicados e vencedores. Mesmo antes da divulgação oficial dos indicados, diversos sites especializados em cinema já fazem suas apostas.

A estatueta, que é entregue há 67 anos aos melhores do cinema, tem 34 centímetros de altura, pesa 3,9 quilos e é composta de 92,5% de estanho, 7,5% de cobre e folheado a ouro de 14 quilates e platina. O custo de fabricação de cada uma é de 150 dólares. A imagem é a de um guerreiro com uma espada sobre um rolo de filme e foi desenhada por Cedric Gibbons e esculpida por George Stanley. A origem do nome “Oscar” possui duas versões: a primeira diz que, em 1931, a bibliotecária Margareth Herrick olhou para a estatueta e disse: “Parece meu tio Oscar”. Já a segunda diz que a atriz Bette Davis olhava para a estatueta e lembrava-se de seu ex-marido, Harmon Oscar Nelson.

estatueta

Ganhar um Oscar é com certeza um grande marco na vida de qualquer pessoa que trabalha na área cinematográfica, e também um grande sonho para muitos. O Oscar vem há muito reafirmando o seu título como a maior premiação do cinema. Porém, nem sempre os vencedores da premiação agradam ao grande público, que muitas vezes acusam a academia de ser vendida, extremamente nacionalista e política e de sempre favorecer determinados atores e diretores em detrimento de outros.

Pois bem, tudo isso leva às seguintes questões: seria a Academia realmente vendida, nacionalista e favorecedora de alguns em detrimento de outros como dizem por aí? Quais são os critérios da Academia para a escolha dos filmes em suas respectivas categorias?

Sei que muitos ao lerem isso agora irão discordar, porém o Oscar é a premiação que tem o critério menos discutível, menos até que os festivais cinematográficos europeus tão aclamados. Me explicarei. Os vencedores do Oscar são escolhidos pelos associados da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que é formada por mais de 6 mil membros. Esse grande número de membros evita favoritismos e panelinhas, muito comuns nos festivais europeus, uma vez que, nestes, o júri é formado por um número reduzido de pessoas.

Como funciona então a votação? Pode-se dizer que ela é dividida em duas etapas.

Na primeira etapa, da pré-indicação, produtores, diretores, atores, atrizes, roteiristas, fotógrafos, figurinistas, ou seja, profissionais do cinema das mais diversas áreas, membros da Academia, votam em suas respectivas áreas e na categoria de Melhor Filme. Assim sendo, roteiristas votam em roteiristas, atores em atores, diretores em diretores e assim por diante, podendo inclusive votar em si mesmos.  O voto de cada eleitor possui um peso diferente, variando de um a cinco. Um pré-indicado pode ter sido votado por muitos acadêmicos cujo voto possui peso menor, por exemplo, e assim acabar ficando de fora, enquanto que um indicado menos votado por eleitores cujo voto tem maior peso pode se sair melhor. As cédulas são separadas segundo quem aparece em primeiro lugar e o total de votos é recebido e então dividido por seis para determinar o mínimo necessário para que um filme seja considerado indicado. Assim, caso hajam 300 cédulas, 50 votos bastam para que um filme ou profissional seja indicado. Essa primeira parte é interessante, pois temos pessoas que realmente entendem da área votando.

Terminada a primeira etapa, os votos com seus respectivos pesos são calculados e os cinco indicados de cada categoria  – com exceção da categoria de Melhor Filme, com 9 – são anunciados. Começa então a segunda etapa, a votação para a escolha do vencedor. Nessa fase, a academia envia a cédula de votação por correio aos associados, com a lista dos filmes e profissionais indicados que podem ser votados. Os filmes e profissionais devem ser enumerados de 1 a 5, sendo que o número 1 é o favorito. Aqui, o que obtiver o maior número de votos se sagra campeão. É importante dizer que as cédulas são devolvidas em envelopes sem identificação do remetente. Nessa etapa, todos podem votar em todos, ou seja, os membros da Academia podem votar em todas as categorias. A crítica é justamente a respeito de profissionais que não entendem de determinada área fazendo parte da votação da mesma. Salvo raras exceções, um ator pouco entende de captura ou mixagem de som, de edição ou de diversas outras categorias em que vota. Dessa forma, seu voto pode comprometer a escolha do melhor, pois o ator pode se deixar levar por diversas outras opiniões. Caso a votação fosse feita com profissionais votando em suas respectivas áreas, como acontece na primeira etapa, o resultado do vencedor poderia ser diferente.

Outra informação que deve ser levada em conta são os critérios para que determinado filme possa ser votado. São eles:  ter sido exibido durante pelo menos uma semana em Los Angeles, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro do ano anterior à premiação em cópias de 35mm ou 70mm e possuir pelo menos 40 minutos de duração.

Existem, porém, casos especiais, que não seguem exatamente essas duas etapas de votação, como no caso de Filme Estrangeiro, Documentário e Curtas-Metragens, em que são formadas comissões especiais ou exigem-se outros critérios.

Os votos são calculados por dois auditores da Pricewaterhouse Coopers, responsável pela contagem dos votos desde 1936. Estes dois auditores são os únicos que têm acesso ao resultado antes da abertura dos envelopes na noite do Oscar. O sigilo é absoluto e jamais se soube de algum caso de quebra de segredo. Assim sendo, nem a Academia sabe de quantas estatuetas vai precisar.

pricewaterhouse

Na noite da cerimônia, o premiado tem no máximo 45 segundos para fazer seu discurso de agradecimento. Estourado o tempo, a pessoa é interrompida por uma música. Uma curiosidade interessante é que, até 1989, a expressão utilizada na hora da entrega do prêmio era “The winner is…” – cuja tradução é “O vencedor é…” -, porém, a partir de 1990, a expressão foi trocada por “The Oscar goes to…” – cuja tradução é “O Oscar vai para…”. Isso aconteceu porque, para a Academia, não existem perdedores.

Muito falei sobre os membros da Academia, mas ainda não falei sobre como fazer parte desta. Para fazer parte da Academia, existem três formas. A primeira é por convite de quem já é membro; nesse caso, o profissional deve ter um bom currículo de trabalho e receber o convite de pelo menos dois sócios da Academia. A segunda é um interessado obter o apoio de dois ou mais integrantes de sua área de atuação e submeter sua inscrição. Nestes dois casos, o novo membro só será aceito sob aprovação do Board of Governors, órgão dos dirigentes da Academia. A terceira e última forma é sendo indicado a alguma categoria da premiação. Entre os exemplos brasileiros que já compuseram a Academia podemos citar Fernando Meirelles – indicado ao prêmio de Melhor Diretor pelo filme Cidade de Deus -, Walter Salles, Daniel Rezende e Fernanda Montenegro. Os mais notáveis integrantes da academia são Angelina Jolie, Anne Hathaway, Beyoncé, Colin Firth, Harrison Ford, Jake Gyllenhaal, Julianne Moore, Christoph Waltz, Julianne Moore, Pedro Almodóvar, Christopher Nolan, entre diversos outros tão conhecidos.

membrosdaacademia

Aí vão mais algumas dicas para os apostadores em bolões do Oscar que ocorrem todos os anos. Alguns prêmios servem como termômetro para o Oscar. Por exemplo, o Bafta reflete a opinião da parcela britânica dos votantes do Oscar, e assim se tornou um dos principais termômetros. A Directors Guild of America e a Screen Actors Guild são outros importantes termômetros, uma vez que os votantes destes coincidem com os da Academia. Outro importante termômetro é o Globo de Ouro, porém vale lembrar que este é um prêmio da imprensa estrangeira de Hollywood, ou seja, não há um coincidência entre os votantes do Oscar e do Globo de Ouro. A American Film Institute anuncia anualmente sua lista dos melhores filmes e pode também ser considerada, assim como a National Board of Review of Motion Pictures, uma das mais tradicionais entidades do tipo, atuante desde 1909. Outras dicas interessantes: as bilheterias das produções, por ser um prêmio da indústria, podem ou não ter algum reflexo sobre os escolhidos. Dependendo do ano, normalmente as grandes bilheterias são citadas ao menos em categorias técnicas. A conjuntura política mundial e especialmente a norte-americana é outro fator que às vezes conta. Figurinistas tendem a premiar filmes de época.

Para encerrar, voltarei às acusações feitas por muitos contra a Academia e que apresentei no início, de que a Academia é vendida, extremamente nacionalista e que sempre favorece alguns queridinhos em detrimento de outros. Pois bem, vamos lá. Antes de qualquer coisa devemos lembrar que a Academia não é um robô e sim formada por diversos seres humanos. Sendo seres humanos, estes podem ser corrompidos e comprados. Assim sendo, não discordo que a Academia às vezes é vendida, porém discordo quando dizem que o Oscar está se tornando comercial. Isso porque basta pegar alguns filmes de grande bilheteria dos últimos anos e ver que isso não é verdade. Por exemplo, pegue filmes como Harry Potter e Os Vingadores, ambos grandes sucessos de bilheteria, foram lembrados somente nas categorias técnicas, e não nas principais.

Quanto ao considerar que a Academia seja extremamente nacionalista, devo concordar e ao mesmo tempo discordar. Conforme citei anteriormente, a Academia é formada por pessoas, e é impossível que, ao votar, a subjetividade seja colocada de lado. Quando assistimos a um filme, gostar ou não gostar dele depende da nossa cultura, da nossa forma de ver o mundo e da nossa forma de sentir. Com os membros da Academia é da mesma forma. Como esta é formada em sua maioria por estadunidenses, torna-se impossível não ser nacionalista, então concordo com o argumento de que a Academia é por vezes extremamente nacionalista. Porém, discordo quando dizem que filmes como Argo e Guerra ao Terror apenas se sagraram campeões por serem filmes que exaltam os Estados Unidos. Ambos são grandes produções, com roteiros extremamente interessantes, direções completamente competentes e realmente dignas do garoto de ouro – como também é conhecida a estatueta do Oscar. Porém, se assistirmos tais produções já sob a visão contaminada de que são obras cujo único objetivo é exaltar a nação estadunidense, é assim que veremos tais produções.

E, por fim, trataremos dos queridinhos da Academia. O fato é que por vezes, os diretores, atores e atrizes queridinhos do Oscar são também os queridinhos do público – esse fato vem mudando nos últimos tempos – e dos profissionais da área, e aí entra novamente a subjetividade, você sempre favorecerá o seu favorito.

Faltam então 56 dias para o Oscar, agora que alguns dos principais critérios e forma de votação foram definidos, é hora de vocês fazerem suas apostas. E então, qual seriam os seus indicados para a 86ª edição da maior premiação do cinema?

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comments

comments