in , ,

O Mito Star Wars

sw1

Star Wars Episódio VII: O despertar da Força vai apresentar o universo da maior saga da cultura pop para o público que sequer era nascido quando o primeiro filme da franquia, Uma Nova Esperança, estreou nos cinemas. Sob a direção do criador de Lost, J.J Abrams, este episódio é o primeiro em que o criador do universo de Guerra Nas Estrelas, George Lucas, não está envolvido, depois de vender Star Wars para a Disney Company.

Depois da tragédia da última trilogia, J.J Abrams assume as câmeras com a responsabilidade de resgatar a emoção de Star Wars e apresentá-la para um público que cresceu consumindo sagas no cinema, nos livros, nos videogames e seriados. Aficionados que vistoriam com exigência a continuidade das histórias de seus personagens favoritos, com os dedos estendidos nos teclados do computador ou smartphone, capazes de influenciar outras pessoas.

Em 1977, estreava Uma Nova Esperança, primeiro filme de uma franquia que obteve o lucro, desde então, superior a 40 bilhões de dólares, incluindo produtos licenciados como brinquedos e jogos eletrônicos. Star Wars é um dos maiores blockbusters da História, somente desbancado por Harry Potter. Em 1999, houve uma tentativa terrivelmente mal sucedida de continuar a história e, agora, o Despertar da Força dá uma reviravolta no arco da história, narrando os eventos que se sucederam após a trilogia clássica, composta por Uma Nova Esperança,  O Império Contra-Ataca e O Retorno de Jedi.

Os teasers apresentam os novos personagens da saga, Finn, Rey, Lady Pharma e o misterioso vilão Kylo Ren. Aparentemente, a luta do bem contra o mal personificada entre os poderosos Cavaleiros Jedi e os maléficos Sith foi deixada de lado e especula-se que haja uma espécie de culto ao império e aos Sith por meio da Primeira Ordem e dos Cavaleiros de Ren, donde Kylo Ren é um dos membro. Nos vídeos curtos, personagens marcantes da saga original aparecem, como Han Solo e o carismático Chewbacca. Mas permanece a questão: onde está Luke Skywalker?

sw4

Star Wars elevou-se a uma espécie de mitologia contemporânea. Mesmo que você não goste do Space Opera de George Lucas, certamente já ouviu falar da história, conhece algum bordão do filme, personagem ou teve algum contato em outras mídias como anúncios e animações que prestam homenagem ao legado de Lucas. Desde o berço, as histórias de Star Wars nos rodeiam.

Hoje, estamos vivendo uma experiência Star Wars, onde todo o coletivo consciente da humanidade está imerso na expectativa para o filme que dá continuidade à franquia. No coração de todo fã ou curioso, reside a esperança de que O Despertar da Força será uma restauração no arco da história, trará a mesma emoção dos primeiros episódios, ao invés do que houve com a segunda trilogia, que retirou toda carga emocional da série.

sw5

Na trilogia Clássica, de 1977 a 1983, a tensão entre o macrocosmo das questões políticas e sociais de um governo totalitário corrupto como o Império, personificado no Imperador Palpatine contra os Rebeldes financiados por uma elite descontente, e o microcosmo de Luke e Vader, Leia, Luke e Han, ou seja, as relações entre pai e filho, homem e mulher, amizade e poder, continuam encantando gerações. Bem como toda a trajetória do herói, o monomito proposta pelo mitólogo Joseph Campbell, fonte em que George Lucas bebeu para compor Star Wars.

O insucesso da segunda trilogia, de 1999 a 2005, abriu um vácuo para que novas sagas encantassem os jovens, quando a história de um certo bruxinho inglês se sobressaiu: Harry Potter, que, assim como Luke, também percorre a jornada do herói clássico, desde a criação ordinária, o chamado do mensageiro, o encontro com o velho mentor e as demais etapas do monomito, tanto que essa narrativa está introjetada em nossa psique.

É um privilégio poder viver a experiência que une toda essa aldeia global diante de Star Wars. Desde já, empresas produzem propagandas com referências à Guerra Nas Estrelas no mundo todo, grandes orquestras entoam a trilha desenvolvida pelo compositor americano John Williams. Sem falar nas Comic Con Experience e JediCon, que reúnem os aficionados. No Brasil, mesmo em crise, o mercado editorial não para com lançamentos de romances do Universo Expandido, manuais e livros menores ambientados nos mundos de Guerra Nas Estrelas. Jogos, réplicas, brinquedos e figuras de ação decoram as lojas infantis e geeks.

sw2

Como fã de cultura pop e Star Wars, estou positiva quanto ao Despertar da Força. Acredito que J.J Abrams devolverá a magia de Uma Nova Esperança até o Retorno de Jedi à franquia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conheça Kadu Vianna, a nova aposta brasileira da Aladdin Artists

Beyoncé, o sexo e a Deusa