Como me apaixonei pela Califórnia em 6 dias

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

cafe_to_goMinha primeira viagem internacional foi para um lugar um pouco diferente das rotas dos meus amigos. Diferente de Nova York ou Miami, depois de horas e horas de vôo, finalmente cheguei na Califórnia.

Fiquei hospedado em Hollywood, um dos distritos de Los Angeles. No primeiro dia, fui até a Calçada da Fama conhecer a rua mais famosa do mundo – são vários nomes famosos e outros nem tanto assim, dá uma olhada como é feita a escolha. Lá, tirei fotos de algumas calçadas famosas e fiquei impressionadíssimo com as luzes e as lojas.

image

No caminho, descobri a loja Boba Time, que vende uma especiaria diferente: um suco – de sua preferência – com Boba, uma goma diferente feita por aqui. De início, achei que fosse Jabuticaba, pela aparência, mas não. Tem gosto de bala de goma. É legal, mas enjoativo.

Boba Time

Boba Time

(A Boba é a parte preta, no fundo do copo). Os atendentes foram muito solícitos.

(Foto via http://elmomonster.blogspot.com.br/2014/10/its-boba-time-tustin.html)

(Foto via http://elmomonster.blogspot.com.br/2014/10/its-boba-time-tustin.html)

Neste dia, peguei um carro turístico para fazer uma city tour por Hollywood. A tour durou cerca de duas horas e o preço foi 25 dólares (50 para minha prima e eu, juntos). Na city tour, visitamos os altos de Hollywood e conhecemos as mansões dos famosos na Califórnia. O guia era muito falante e parecia aqueles tios do pavê, sabe? Fazia umas piadas aleatórias e ria sozinho delas. A gente ria porque ele era muito engraçado (do jeitinho dele) e parecia o Mr. Catra, inclusive na voz.

Los Angeles vista da Mullohand Drive

Los Angeles vista da Mullohand Drive

O letreiro de Hollywood é pequeno e a gente só consegue ver de longe – ou aproximando o zoom – mas dá uma super sensação boa de estar lá. Na foto acima, Los Angeles vista da Mullohand Drive. Abaixo, o letreiro visto do mesmo ponto.

image

O hotel, o The Moment, fica na Sunset Bulevard, uma rua com MUITAS atrações. Inclusive um Guitar Center, com um mini-museu do Rock. Não é o meu ritmo de música preferido, mas entrei para conhecer! Minha amiga do Brasil adora Slash e eu tinha que procurar algum presente dele, pra ela, ali. Encontramos um DVD que ela não tinha e ela ficou muito feliz.

Guitar Center

Guitar Center

image

Mãos de lendas do Rock estão marcadas na entrada do Guitar Center de Hollywood. Na foto, a mão de Slash.

Na rua que fiquei hospedado, a Sunset Bulevard, era impossível não lembrar do clipe de Shades of Cool, da Lana Del Rey. E em quase todo o momento foi como viver em um clipe dela que eu, particularmente, amo. Fiz alguns snaps:

No segundo dia, fui para a famigerada Disneyland, em Anaheim. Lá, foi onde tudo começou e Walt Disney construiu o primeiro parque temático da Disney. Não fiquei o dia inteiro, então aproveitei o resto do dia para conhecer Santa Monica, um dos meus lugares preferidos da viagem. O clima é ótimo, a praia é gostosa, o visual é exuberante.

Se existe um “place to be” na Califórnia, este é Santa Monica.

Santa Monica, CA.

Santa Monica, CA.

Curiosidade: a areia da praia em Santa Monica é um pouco diferente das areias da praia do Rio de Janeiro. Lá, a areia é um pouco mais grossa e não tão fininha quanto a daqui.

Uma das partes mais legais de Santa Monica é o famoso Píer. Lá tem um parque de diversões e várias opções de comida. Tem umas cabines de fotos no píer que custam 6 dólares. Quem lembra de Hannah Montana O Filme? Nunca me senti tanto no melhor dos dois mundos quanto naquele momento, há!

Píer de Santa Monica, (Foto do site http://www.justmarried.com.br/santa-monica-soul/)

Píer de Santa Monica, (Foto do site http://www.justmarried.com.br/santa-monica-soul/)

No terceiro dia, fiz um passeio panorâmico por Los Angeles. Este, guiado por um brasileiro que foi contando algumas curiosidades sobre a cidade: como lá só chove cerca de 9 vezes por ano, como as casas são todas feitas de madeira e metal por causa dos terremotos frequentes etc. Neste passeio, tive a oportunidade de conhecer mais o centro da cidade e me apaixonar de vez.

downtown los angeles

Atrás de mim, o Los Angeles City Hall. A obra se chama “Dance Door” ( 1978), ou “Porta da Dança” e é do artista Robert Graham.

Atrás de mim: o prédio da prefeitura de LA, Califórnia.

É uma cidade muito bem organizada, de forma arquitetônica: nos distritos, não há prédios, apenas no centro. Isso porque, como dito antes, há sempre a possibilidade de terremotos lá. Então, para construir um prédio em LA, você precisa atender a todos os requisitos tecnológicos necessários para que o prédio não seja uma dor de cabeça para a cidade.

downtown los angeles 02

Os prédios em Los Angeles estão localizados no centro da cidade.

No terceiro dia, voltei para a Disneyland, agora para o parque da Califórnia Adventure. Este parque é um pouco diferente da Disneyland clássica: é mais voltado para os brinquedos radicais. Eu não sou uma pessoa muito radical, mas encarei o desafio. Fui em quase todos os brinquedos e enfrentei alguns medos pessoais. Tive um problema com o translado (não paguem translado, não vale a pena! A não ser que seja pelo guia panorâmico-cultural da cidade), então a solução foi pegar um Uber, ou perderíamos a outra metade do dia esperando o carro. Durante a outra metade do dia, visitei novamente a calçada da Fama e fiz algumas compras.

Parei para comer no famoso Hard Rock Café, ao lado do Dolby Theathre, onde acontece anualmente a entrega do Oscar. O Dolby, inclusive, funciona como um grande shopping center. Lá tem várias opções de comida e lazer, mas o foco são as compras.

Pausa saudável para o almoço no Hard Rock Café em Hollywood

Pausa saudável para o almoço no Hard Rock Café em Hollywood

Foto profissional do Hard Rock Cafe em Hollywood. Créditos: site oficial.

Foto profissional do Hard Rock Cafe em Hollywood. Créditos: site oficial.

Depois de bater perna em Hollywood, minha prima e eu jantamos por ali mesmo, no restaurante California Pizza Kitchen, que assim como o Hard Rock tem um preço acessível e é uma delícia!

No quarto dia, conheci a Universal Studios. Lá, uma surpresa boa: tudo parece melhor que na Disneyland, mas com uma propaganda menor. Mesmo que a Disney ganhe em termos de produção, a Universal ganha em envolvimento com o público e atendimento excelente dos guias de lá.

A cidade de Springfield é incrível e tem recriações legais do Bar do Moe e uma hamburgueria (deliciosa) do Palhaço Krusty.

A Universal foi uma das melhores paradas da viagem. As lojas são incríveis, inclusive as de doces.

Millhouse e eu na cidade de Springfield, na Universal Studios Hollywood.

Millhouse e eu na cidade de Springfield, na Universal Studios Hollywood.

Barney e eu tristes pelo fim da cerveja, em Springfield na Universal City de Hollywood.

Barney e eu tristes pelo fim da cerveja, em Springfield na Universal City de Hollywood.

Uma das melhores partes da Universal: as lojas de doces.

Uma das melhores partes da Universal: as lojas de doces.

universal-studios-hollywood

Universal Studios Hollywood. (Foto original via https://karent.wordpress.com/tag/universal-studios/(

Falando em lojas de doces, a disputa presidencial por lá está acirrada, inclusive dentro deste tipo de lojas.

Bonecos, dólares de brinquedo, balas de menta (extremamente) machistas, papel higiênico com o rosto de Donald Trump e até o cabelo do candidato de algodão doce foram itens que encontrei em duas lojas de doces que entrei em LA.

Bonecos de Trump e Hillary em lojas de doces nos EUA.

Bonecos de Trump e Hillary em lojas de doces nos EUA.

Seção especial para doces e brinquedos sobre a corrida presidencial americana.

Seção especial para doces e brinquedos sobre a corrida presidencial americana.

Eles conseguem ser muito machistas nas brincadeiras.

Eles conseguem ser muito machistas nas brincadeiras.

Depois de Universal Studios, minha prima e eu voltamos para Hollywood (nos apaixonamos mesmo por lá! E lá tem TUDO!) e jantamos em uma hamburgueria vintage, a Jhonny Rockets. Se você for de São Paulo ou Goiânia, com certeza já conhece. Lá, era tudo gostoso e limpo. O visual faz com que você de sinta perdido no tempo mesmo.

Johnny Rockets

Como a fome foi maior do que minha lembrança na hora, não consegui fotografar dentro da lanchonete. Mas aqui seguem fotos do Google para vocês:

johnnnyrockets-dolbytheater

No quinto dia, fui para Malibu. Lá, além daquilo de pintam na TV de lugar paradisíaco, não tem muita coisa. Um píer, com um restaurante gostoso (e o preço um pouco salgado, em relação aos outros), porém extremamente charmoso e com o melhor suco de laranja que tomei na Califórnia.

malibu-1

Sanduíche de frango e suco de laranja da Malibu Farm.

malibu-2

Entrada do píer em Malibu.

malibu-3

Entrada do píer em Malibu.

Malibu-4

Malibu, CA.

malibu-5

Malibu, CA.

A maioria das pessoas que vêm para Malibu estão a bordo de seus trailers particulares e trazem comida etc. Para os turistas, resta comer no restaurante do píer ou nas poucas opções da proximidade. No pier também tem uma loja de lifestyle, muito cara, que não fotografei. Para ter uma ideia, as camisas simples custavam a partir de 120 dólares e as lembrancinhas não saíam por menos de 80 dólares.

Em Malibu, a maioria das praias são privadas. Então, não é um lugar tão atraente de se conhecer como Santa Mônica, por exemplo. Durante minha aventura, dei a sorte de filmar um Snap ao som de High By The Beach, da Lana Del Rey, e conseguir flagrar um helicóptero! Hahaha.

Em Malibu é possível ver os peixes nadando tão claro como a luz do dia. As praias abertas ao público são um pouco sujas e a água muito fria. Tudo lindo, mesmo que não tenha sido o meu lugar preferido do roteiro de viagem.

O restaurante que fica ao final do píer (e no começo também) se chama Malibu Farm. Para jantar no restaurante, é preciso reservar no site. Para almoço ou para comer no Cafe (onde tem o sanduíche + suco delicioso) não é necessário de reserva.

Na volta para casa, visitamos um shopping chamado The Grove, com lojas bem interessantes como a Top Shop e a Dylan’s Candy Bar.

Na Dylan’s, até barra de chocolate sabor bacon era possível encontrar. Resolvemos não nos aventurar.

Depois de quase seis dias se alimentando de sanduíches, encontramos um restaurante brasileiro bem bonitinho e delicioso: Bossa Nova. E aqui tem feijão (!!!!) e é muito gostoso. Ótima pedida para quem está com saudades de casa. E, de quebra, ainda pode cruzar com alguma celebridade no caminho.

image

Foram poucos dias, mas o suficiente para me apaixonar e querer voltar sempre para Los Angeles. Mal posso esperar!

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comments

comments