As cinco teorias mais mirabolantes de 'The OA'

the-oa-feature-speak-with-creators-6bfe9414-30c3-4fbf-ad2d-28b7d18a65ca
  •  
  • 5
  •  
  •  
  •  
  •  
    5
    Shares
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
70161

The OA recém ficou disponível no catálogo da Netflix e as teorias sobre o futuro da série já estão fervendo na internet.

Para quem ainda não assistiu recomendo não ler o post até o fim, The OA narra a complicada vida de Prairie Jonhnson (Brit Marling), uma mulher cega e de família adotiva que retorna a cidade ‘natal’, sete anos após seu misterioso desaparecimento. E o que mais intriga o seu retorno é que Prairie voltou a enxergar décadas depois de perder a visão, o que torna ela uma espécie de ‘anjo’. Prairie se apresenta como OA e aos poucos conta as passagens, surreais, dos sete anos que mudaram a história da sua vida.

The OA e a arte de contar uma boa história

E como somos apaixonados por histórias misteriosas, reunimos as principais teorias que estão na internet para você debater conosco e dizer: O que o futuro de The OA nos reserva.

Cinco teorias de The OA

1. Prairie estava presa e sozinha

E se Homer, Scott, Rachel e Renata forem apenas criações da mente de Prairie que na verdade viveu sete anos de abusos e agressões?

A primeira teoria começa quando OA é abordada no restaurante por uma menina, que pede para tirar uma selfie ao seu lado. Na abordagem, a desconhecida comenta como Prairie é uma grande inspiração por ser forte, já que passou sete anos aprisionada, sendo agredida e estuprada. Porém, em nenhuma das noites de histórias OA comenta sobre estupro ou agressões violentas de Hap, o que podemos considerar a uma má interpretação dos fatos feita pela desconhecida.

Entretanto, calma, outro ponto curioso sustenta a teoria. Prairie conta aos seus pais que durantes esses sete anos não tocou a pele de outra pessoa. E esse detalhe sabemos que é mentira, já que Homer tocou os braços de Prairie nos últimos momentos da série.

A ideia levantada por alguns fãs é que Hap pode até ter feito experimentos de quase morte com a OA, porém o cientista não era tão afável com seu objeto de estudo. Foram sete anos violentando Prairie, o que forçou a moça a criar um universo alternativo para escapar da realidade.

2. A história ocorre em três dimensões

Alguns fãs afirmam: os acontecimentos no porão do Hap e as histórias contadas na casa abandonada na verdade acontecem ao mesmo tempo e em dimensões diferentes. QUE LOUCURA!

Que duas dimensões existem fica claro para nós, aquela onde Prairie e seus amigos estão enclausurados no porão do cientista e a outra quando ela “morre” e conversa com Kathun. Entretanto, a terceira dimensão seria justamente a que ela narra os casos dos últimos sete anos aos amigos. Complexo, não?

Alguns detalhes da história baseiam a ideia. O primeiro é quando Alfonso se olha no espelho e o reflexo de Homer é o que parece no lugar do dele. E, ainda se não bastasse, na mesma cena Alfonso estava com um corte na testa justamente no mesmo local em que Homer se cortaria (após bater a cabeça na parede, em Cuba).

Outro ponto que sustenta a teoria é quando Buck passa de bicicleta pela rua e encontra alguns objetos pegando fogo na estrada, entre eles há uma mochila vermelha. Essa cena intrigou a ‘fan base’ já que não tem conexão com outras cenas e nem é comentada pelo personagem ao longo da série. Entretanto, se voltarmos um pouco veremos Rachel (uma das aprisionadas por Hap) comentar que sua experiência de quase morte foi em um acidente de carro (fogo na pista) e que uma cena marcante foi justamente a mochila vermelha do seu irmão na rodovia. Ah! E assim como Rachel, Buck também é cantor.

Seriam todos representações de si mesmos só quem em dimensões diferentes?

Ouça a fantástica trilha sonora de The OA, da Netflix

3. FBI também atua como caçador de anjos

Alguém explica o que aconteceu naquela cena em que Alfonso invade a casa de Prairie, encontra três livros – os quais ele acredita que serviram de inspiração na história da OA – e, do nada, esbarra em Elias o terapeuta ‘gente boa’ do FBI.

Se você também ficou com a pulga atrás da orelha, nós também ficamos. A teoria é que na verdade o FBI tem ligação com o Hap e os próximos passos deles é desenhar Prairie como uma mulher doentia. Um dos pontos que sustenta esse boato é o cientista ter livre acesso pelas fronteiras dos EUA, em certo momento o próprio comenta a sua facilidade em entrar no país com estranheiros sem sequer precisar de documentos.

A aparição do Elias na casa dos Johnson também é de se estranhar já que o próprio incentivou a família a sair durante aquela noite e todos os encontros com Prairie haviam ocorrido na própria sede do FBI.

Outro ponto que alguns fãs sustentam é que Rachel é uma pessoa infiltrada do FBI no meio dos aprisionados. A questão é que ela é a única personagem que não pratica e nem recebe os movimentos. Aliás, o quinto movimento foi ensinado pela mulher do policial que invade a casa de Hap. E tem mais, as plantas que estão dentro da cela de Rachel estão mortas, enquanto todas as outras estão vivas, é de estranhar… Talvez Rachel realmente tenha passado pela experiência de quase morte e quando foi abordada por Hap decidiu se infiltrar para recolher informações para o governo; Ou o FBI e Hap trabalham juntos e estão sendo financiados pelo governo para conseguir o máximo de dados possível.

4. Prairie está em coma profundo

Na última cena de The OA a protagonista acorda assustada dentro de uma sala toda branca e vestindo roupas claras. E aí a dúvida surge: Será que Prairie na verdade estava em coma todo esse tempo?

A teoria dos fãs é que OA na verdade não acordou do acidente quando criança e vive dentro de um sonho lúcido que tenha acordar.

5. Todos estão em um hospital psiquiátrico

Talvez as visões de grandes corredores brancos e salas que aparentam hospitais nada mais sejam do que dicas da realidade. A última teoria afirma que Prairie, na verdade, sofre de problemas mentais e vive dentro de um hospício. A história de OA nada mais seria do que uma espécie de demência coletiva, com Homer, Rachel e todos os personagens enclausurados.

A base dessa teoria começa quando Homer finalmente consegue explorar um pouco da pesquisa de Hap e escuta alguns trechos das gravações feitas durante as experiências de quase morte. Em um trecho da conversa você escuta o seguinte diálogo:

[Homer] Eu sou o Homer
[desconhecido] Seu nome não é Homer! Olha para mim! Você conhece o Dr. Roberts?

Outro ponto é o final da série. Durante a cena do atirador perceba a disposição dos personagens e o cenário escolhido para o desfecho: um enorme aquário de vidro, muito parecido com os aquário que Prairie viveu enquanto sequestrada.

O último segundo de episódio, aquele em que OA desperta em uma sala toda branca, vestidas com roupas brancas e que lembram muito um hospício também levantam a questão: será que toda essa história não passou de uma ilusão?

Bom, para encerrar vale ressaltar que as teorias citadas nesta publicação são temas de fóruns online, criadas por fãs. Você concorda com alguma?

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
70161

Comments

comments