Bela não era filha única - e outras 10 curiosidades sobre "A Bela e a Fera"

A Bela e a Fera
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
4

Agora falta pouquíssimo: na próxima quinta-feira, estreia nos cinemas a versão live-action de A Bela e a Fera, um dos filmes mais esperados do ano. Talvez você, como eu, seja Disney freak, e saiba de cor e salteado as falas e músicas do desenho original, lançado em 1991. Talvez não seja – e só esteja mesmo empolgado porque ama um blockbuster ou é fã da Emma Watson. Seja qual for o caso, talvez você não saiba de algumas das curiosidades abaixo – sobre o desenho e o conto do século XVIII que o inspirou. Confira:

11 curiosidades sobre A Bela e a Fera

1 – A autora do primeiro conto intitulado La Belle et la Bête, publicado em 1740, é Gabrielle-Suzanne Barbot – mas a versão que pegou mesmo foi a de Jeanne-Marie LePrince de Beaumont, publicada em 1756. Em uma época em que o conceito de ‘direito autoral’ ainda não existia, deu certo a segunda versão, bem menos complexa que a primeira.

2 – No conto de Jeanne-Marie, Bela não era filha única – era uma de três irmãs, que não eram filhas de um inventor visto como meio maluco pela vila, e sim de um rico mercador. Bela, humilde e generosa, era maltratada pelas irmãs, que estavam mais para as filhas da madrasta da Cinderela. Um dia, a família perde toda sua fortuna – e, quando o mercador sai para uma viagem, Bela, entendendo as dificuldades financeiras pelas quais a família passava, pede que seu pai só lhe traga de presente uma rosa. Adivinha onde o mercador acaba indo pegar a tal rosa? Aham, no jardim do castelo da Fera – que, como no desenho, acaba exigindo a permanência de uma das moças para libertar o homem.

3 – O conto original não tem objetos falantes – a Fera vivia solitária, mesmo. Também não tem aquela rosa perdendo pétalas, ou um prazo a partir do qual a maldição não poderia mais ser desfeita. E não tem espelho mágico – mas tem um anel, que a Fera dá a Bela quando esta sai do castelo para visitar a família: quando quiser voltar, basta Bela usar o anel, e pronto, será magicamente transportada de volta.

4 – Achou viagem? A primeira versão, da Gabrielle-Suzanne, era mais ainda: nela, Bela era, originalmente, da realeza – filha do rei de uma região vizinha, ela teria fugido e se disfarçado como filha de um mercador para escapar de uma fada maligna que queria matá-la e tomar seu lugar na nobreza. E mais: a mesma fada, depois, tenta seduzir o príncipe, também para virar uma nobre, e, ao ter suas intenções frustradas, o transforma na Fera. Eu, hein.

5 – A história do desenho da Disney se passa na França do século XVIII, mesmo local e época em que o conto original surgiu – só não me pergunte por que, se todos os personagens nasceram na França, Lumière é o único que tem sotaque.

6 – A Bela e a Fera é o trigésimo Clássico Disney, ou seja, o trigésimo longa produzido pelo estúdio. A Disney já tinha cogitado recriar a história duas vezes, nos anos 1930 e 1950 – mas o que deu o empurrão final foi o sucesso de A Pequena Sereia, outra adaptação de um conto antigo, que foi lançado em 1989. Foi também por causa do sucesso do filme de Ariel que A Bela e a Fera virou um musical, já que o público aprovou o formato.

7 – A Fera foi concebida como uma quimera, ou seja, uma mistura de vários animais: ele tem cabeça e chifres de búfalo, braços e corpo de urso, sobrancelhas de gorila, dentes e juba de leão, presas de javali e pernas e cauda de lobo. Mas os movimentos do personagem são inspirados nos de um gato, como seus saltos ou os movimentos ele que faz com a cauda.

8 – O desenho arrecadou cerca de R$ 425 milhões de dólares em bilheteria no mundo todo, o que, para a época, era um sucesso enorme: foi o filme mais lucrativo da Disney até então; e o terceiro filme mais visto em 1991, atrás só de Exterminador do Futuro 2 e Robin Hood – O Príncipe dos Ladrões.

9 – A Bela e a Fera se saiu bem também com a crítica: ganhou o Globo de Ouro de Melhor Filme Musical ou Comédia e foi a primeira animação da história a ser indicada ao Oscar de Melhor Filme, além de ter vencido os Oscars de Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção Original, pela agora clássica Beauty and the Beast, cantada no filme por Angela Lansbury.

10 – A premiada trilha sonora foi composta por Howard Ashman e Alan Menken – Menken já escreveu trilhas para diversos filmes da Disney, como A Pequena Sereia, Aladdin, Pocahontas, O Concurda de Notre Dame, Hércules, Encantada e Enrolados. O Ashman, que também foi produtor executivo do filme, morreu por complicações em consequência da AIDS apenas oito meses após a finalização do projeto, e o longa foi dedicado à sua memória.

11 – A Bela e a Fera foi o primeiro desenho da Disney a ser adaptado para um musical da Broadway, e ficou em cartaz entre 1994 e 2007, totalizando 5,461 performances – é o oitavo musical que ficou mais tempo exibição na história da Broadway. O espetáculo já ganhou adaptações em 13 países e 115 cidades (inclusive em São Paulo, entre 2002 e 2003), arrecadando mais de US$ 1,4 bilhão no mundo todo.

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
4

Comments

comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *