Há 10 anos, Kim Kardashian transformava uma 'sextape' em um império

Kim Kardashian
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
7

Leia o artigo na íntegra, e em inglês, aqui.

Como uma fênix, Kim Kardashian ressurgiu das cinzas e do bagaço quando seu vídeo íntimo e caseiro com o cantor Ray J. caiu na internet. Ela renasceu em 2007 e transformou aquilo que poderia ser seu fim em um império. Traduzimos o artigo da Complex que conta um pouco sobre a história da empresária ao longo desses 10 anos. Confira!

Há 10 anos, Kim Kardashian transformava uma ‘sextape’ em um império

Eu sou estilista da Brandy (cantora). Estou abrindo uma loja chamada DASH com minhas duas irmãs. Eu vou até a casa dos meus clientes e eu ajudo eles a limparem seus armários e nós pegamos tudo que eles não querem mais e vendemos no Ebay.” – Kim Kardashian contou para o canal E!, em 2006. Antes de ela ser uma estrela de reality show estampando capas da Vogue, fazendo contratos milionários e sendo a musa de Kanye West, Kim fazia a limpa nos armários de celebridades como Paris Hilton, Brandy, Serena Williams e Cindy Crawford. Moda sempre foi seu foco, mas fama era seu horizonte.

É difícil de imaginar quando o mundo não conhecia Kim Kardashian. Naquela época, ela aparecia nos tabloides como a filha de Robert Kardashian, o advogado que ficou famoso ao defender o amigo O.J Simpson, e também como BFF/assistente de Paris Hilton. Se você acompanhava The Simple Life, o reality show de Paris Hilton e Nicole Richie, você provavelmente pegou algumas cenas de Kim na série durante os anos 2000. Mas além disso, o público conhecia Kim como a estilista e melhor amiga de Paris, e mais tarde, como a primeira mulher que Nick Lachey saiu depois de se separar de Jessica Simpson (Lachey afirmou em público de que Kim havia avisado à mídia sobre o encontro). Ainda assim, estava longe de ser um nome familiar.

Cada passo da família Kardashian era calculado, mas, o único que definitivamente não foi, foi vazamento de sua sextape com o rapper Ray J., há 10 anos. Na verdade, se você parar para pensar, o que introduziu Kim no mundo, foi um crime sexual. Aos 22 anos, Kim estava vivendo como uma jovem adulta explorando sua sexualidade com seu namorado, Ray J., um cantor de R&B e irmão mais novo da cantora Brandy. Em um momento particular, o casal resolveu fazer uma gravação íntima. Hoje em dia, é praticamente impossível ir a qualquer lugar sem ouvir sobre Kim ou o clã Kardashian/Jenner. Mas mesmo que o vídeo tenha sido os quinze minutinhos de fama da Kim, não foi o que a sustentou ela nos olhos do público. Não representa nada comparado ao império que ela construiu. Ela trabalhou duro para que as pessoas enxergassem além do vídeo explícito. Dez anos depois, é óbvio que podemos dizer que ela obteve sucesso.

Até então, sua fama baseava-se em tentativas e sua imagem atrelada a Paris Hilton. Porém, em fevereiro de 2007, isso tudo mudou quando seu encontro íntimo com Ray J vazou ao público pelo TMZ. Há rumores de que o vazamento do vídeo foi um passo calculado por Ray J. e Kim. Algumas pessoas tem a certeza de que isso foi um ato interno. Um livro biográfico chamado Kardashian Dysnaty, por Ian Halperin, afirmou que Kim queria seguir os passos de sua amiga Paris. Ray J. até comentou sobre a conspiração de Kris Jenner, no Daily Mail este ano, dizendo que ela era “uma verdadeira malandra”. Jenner respondeu aos rumores da época no programa de Joan Rivers, na internet chamado ‘Na Cama Com Joan’, dizendo: “Eu me acabei. Eu tive que me trancar em um quarto e chorar. Eu não acho que alguém pode te preparar para algo como este, quando é algo que vem da sua filha.” (Mais tarde, em Keeping Up With The Kardashians, nós descobrimos que Kris e seu marido Bruce (hoje conhecido como Caitlyn) também fizeram um vídeo caseiro.

De forma geral, a ideia de que a família Kardashian implantou as invasões de sua privacidade é algo que bate com o que eles tem feito durante todos esses anos para se manterem na mídia. Quando Kim foi vítima de um assalto horripilante em outubro de 2016, em Paris, a mídia não exitou em dizer que era algo implantado. E foram ainda mais longe ao dizer que ela usou o assalto para encobrir algumas cirurgias plásticas que havia feito. Infelizmente, esse é o mundo de Kim.

Voltando ao que importa: a sextape. 2007 foi um tempo bem louco no mundo das celebridades. Para o blogger de fofoca, Perez Hilton, foi seu “Ano de Ouro”. Foi quando todo mundo ficou selvagem, digamos assim. Britney Spears raspou sua cabeça; Lindsay Lohan, Nicole Richie e Paris Hilton foram presas. Várias outras celebridades foram para a clínica de reabilitação. “Muito da loucura teve a ver com a introdução do meu site e de outros ao mundo, como o TMZ.”, revelou Perez. Em meados de 2007, revistas de celebridades não usavam sites para divulgar fofocas como Perez fazia em seu portal, postando pequenas notícias a cada instante. “Todas as meninas estavam reagindo ao fato de que qualquer coisa que elas faziam seriam comentadas no próximo dia”, disse Perez. “Era quase uma droga pra eles. Eles estavam apenas sendo mais selvagens, loucas e cheias de propósito de causar.”

Em 2007, Paris era Kim: Ela estava em todos os lugares, e sendo comentada por todo mundo. Ninguém sabia realmente o porquê. Ela era famosa por ser famosa. Como Kim, Paris tinha sua própria sextape que foi escândalo em 2004, quando The Simple Life estreou. E como Kim, o vídeo vazou sem o consentimento de Paris. As similaridades estão aí, e a fama de Paris definitivamente ajudou Kim. “A sextape não fez Kim Kardashian uma estrela. Paris Hilton fez Kim Kardashian uma estrela” – Perez disse. “Paris Hilton fez Kim como melhor amiga por um ano ou mais. Por associação, ela criou Kim Kardashian.”

Graças a sua amizade com Paris, Kim já havia sido notada, mas o vídeo íntimo deu a ela um outro nível de notoriedade, mesmo que não fosse do modo como ela queria. O vídeo, de qualquer forma, deu a sua família uma oportunidade: uma base para criar uma marca. Sylvia Obell, escritora do BuzzFeed que tem escrito muitas vezes sobre as Kardashians disse “Eu acho que a resposta mais simples é dizer que o vídeo ajudou: claramente, foi o que a arremessou para o holofote rapidamente. Isso deu à família a razão pelo qual refazer sua marca. Eu acho que quando eles criaram o reality, eles tiveram a oportunidade de mostrar quem eles realmente eram. Me faz pensar que eles não queriam que a sextape fosse o chamariz de sua marca.

De acordo com Sylvia, o assim que o vídeo foi a público, Kim fez um comunicado que ela não havia autorizado a distribuição e divulgação do vídeo; ela disse que gostaria que ele sumisse. Mas como diria a grande profeta Beyoncé, Kim pegou os limões e fez uma limonada.

O vídeo foi dado por uma terceira pessoa à Vivid Entertainment, uma distribuidora de filme pornô. Kim inicialmente entrou com um processo contra a empresa (e planejava processar Ray J. também), mas alguns meses depois, ela contou com a ajuda de Joe Fracis, o criador do site Girls Gone Wild. Ela comprou os direitos do vídeo por 4,5 milhões de dólares. Joe é uma parte-chave na história da sextape: ele havia namorado Paris Hilton em 2003, e mais tarde saiu com a irmã de Kim, Kourtney.

Além disso, você pode dar os créditos ao Joe por ter apresentado Kourtney ao amor de sua vida, Scott Disick, em 2006 também. Apesar do histórico de abuso sexual de menores, prostituição, suborno e sonegação de impostos, Kim ainda continua amiga dele. Ela foi flagrada com ele no México ano passado. Para Kim, parece que Joe ajudou seu vídeo ser esquecido.

Ao invés de deixar o vídeo íntimo acabar com sua personalidade e carreira, Kim triunfou. Ela percebeu que a gravação não iria a lugar nenhum. A partir disso, o vídeo se tornou o “filme mais vendido” da produtora Vivid’s, de acordo com o fundador da empresa, Steven Hirsch. “Há muitos processos legais que lidamos, mas nós fizemos um acordo entre Kim e Ray J.”, ele explicou. De acordo com o TMZ, Kim lucrou 150 mil dólares, enquanto Ray J. lucrou 270 mil dólares e a Vivid estava fazendo apenas 1.185 dólares por mês, em vendas pelo vídeo formalmente conhecido como ‘Kim Kardashian: Superstar’. A sextape deu a Kardashian uma base para seguir sua própria carreira.

Em 2007, Kim falou sobre o vídeo pela primeira vez no programa Tyra Banks Show. Ela insistiu em dizer que não queria que o vídeo tivesse saído. “Eu só vou dizer isso uma vez”, ela frisou. “Eu sinto e obviamente eu fiz o vídeo. Eu tenho que ter responsabilidade sobre o que eu fiz. Mas eu tenho irmãs pequenas, meus avós, meus pais que eu tive que me explicar, e também tentei ensiná-los o que não fazer. Então, você sabe, eu tive que ser um exemplo para eles. É realmente humilhante explicar para as suas irmãs pequenas que não estão nem na escola ainda.”. Novamente, em 2012, Kim falou sobre violação de privacidade e seu caminho rumo ao estrelado no canal OWN: “Eu não sou inocente ao fato de como fui apresentada ao mundo. Foi de uma forma negativa, então eu sinto que eu tenho que trabalhar 10x mais duro para as pessoas me verem de forma real.” Kim tentou colocar um fim em qualquer especulação de que ela ou sua família implantou o vazamento da gravação: “Por que qualquer um iria tentar humilhar sua própria família dessa forma? Isso é algo que eu tenho que eu tenho que viver pelo resto da minha vida e tenho que explicar aos meus filhos um dia”.

Enquanto alguns veem Kim como uma oportunista, o modo como ela planejou sua carreira, usando a sextape que feriu sua moral de modo pessoal e destruiu sua imagem, foi muito inteligente. Foi uma violação a sua privacidade, e queimou seu nome inicialmente, mas Kim reinou acima de tudo. O vídeo a perseguiu durante todo esse tempo nos olhos do público, mas, ao mesmo tempo, não importa: ela se provou como pessoa e nós a daremos o crédito todas as vezes. Kim continua se firmando para provar isso, mesmo que haja outras polêmicas que persigam ela. “Quando você olha o Twitter, alguém sempre vai trazer o assunto da sextape de volta, como se descreditasse qualquer coisa que Kim e sua família tenham construído.”, Sylvia do Buzzfeed explica. “Eu acho que é uma faca de dois gumes”. Está claro que misoginia tem perseguido Kim nos últimos 10 anos, não importa o que ela tenha feito ao longo desse tempo.

Apenas oito meses após o vídeo vazar, Kim, junto com o resto do clã Kardashian/Jenner, estrelaram seu próprio reality show na TV, no canal E!: Keeping Up With The Kardashians. Durante o mesmo tempo, Kim posou para a Playboy: diz ela que sua mãe a convenceu de fazer e que se arrependeu disso em 2010. De qualquer forma, desde então, Kim definitivamente usou sua autoestima corporal para posar em nudes e fazer ensaios fotográficos para revistas como Paper, GQ e W.

Agora continuando sobre como durante 10 anos de show, Keeping Up With The Kardashian se tornou o ganha pão da família mesmo com diversas críticas negativas desde a primeira temporada. “Uma vez em que você compreende o passado de Kim, não tem mais muito o que mostrar aqui.”, um crítico da Variety’s escreveu durante aquele tempo. A serie estourou de qualquer forma, o que fez com que criassem spin-offs como Kourtney and Kim Take New York, Kourtney and Kim Take Miami, Kourtney and Khloé Take Miami, Kourtney and Khloé Take The Hamptons, Khloé and Lamar, I Am Cait, Rob and Chyna, Kocktails With Khloe e o mais recente, Revenge Body. A família passou a viver sua vida nas telinhas, registrando pedidos de casamento, divórcios, gravidez, sexos, transição de gênero, gerenciando um negócio e muito mais.

A série original do E! ganhou visibilidade nos tabloides e transformou a carreira de Kim e do seu clã em multimilionárias. “As duas coisas que construíram Kim Kardashian foram o reality show e Paris Hilton.”, Perez uma vez disse. “E Kim sabe disso. Kim sabe que é o reality que mantém as coisas acontecendo.” E assim acontece com o resto do clã Kardashian/Jenner. Em 2016, Khloé disse em seu show Kocktails With Khloé: “Eu acho que ter uma visibilidade inicial é uma coisa mas, saber sustentar isso, a longevidade que nós temos… Eu acho que há muitas pessoas que podem olhar pra trás e dizer, ‘Bem, eles tiveram a sextape, mas isso durou um mês, ou qualquer coisa que os 15 minutinhos de fama representam.”

Cada membro da família Kardashian se tornou uma marca de exemplo, que é um resultado direto da introdução de Kim ao mundo. Kendall é uma jovem modelo de sucesso e designer; Kylie é dona de uma marca de beleza e designer; Khloé é conhecida como uma personalidade da mídia, apresentadora e dona da loja Dash; Kourtney (provavelmente a irmã mais reservada) é conhecida por fazer a Dash acontecer. Todas elas possuem capas de revista e presenças massivas em redes sociais.

É bem claro que Kim e sua família ultrapassaram os 15 minutinhos de fama. A esperteza de business de Kim (e de Kris Jenner) é o fator principal por trás de sua carreira pós-sextape, o que fez o nome da família Kardashian estar em todos os lugares por aí. O editor executivo da MTV News, Alex Pappademas, disse “Eu não acho que Kim tenha a ver com o vazamento, mas eu acho que ela conseguiu fazer parte da história que acaba com ela no Met Ball Gala. É uma redefinição de celebridade que pode ter incluída coisas desse tipo.” Ou seja, Kim mudou as regras do jogo.

Quando Kim casou-se com a estrela do Nets, Kris Humphries, em rede nacional, pareceu que ela estava conseguindo o final feliz que ela merecia. 72 dias depois, Kardashian deu entrada na papelada para o divórcio. Kris Humphries e seus advogados recorreram para o anulamento, alegando que o casamento era uma “fraude”.

Mais tarde, ele divulgou sua acusação e pediu 7 milhões de dólares pelo divórcio. Do reality, ela fez vários contratos publicitários e de merchandising com a boutique da família, Dash, criou seu próprio jogo e publicou um livro. Fãs do show assistiram Kim expor sua alma (e às vezes, seu corpo) na TV, abrir sua vida amorosa (Reggie Bush) e mais tarde, sua vida de matrimonial (Kris Humphries, e agora, Kanye). O que fez Kim ser realmente famosa, foi o fato de que ela abriu sua intimidade e sua vida para o público.

De acordo com a série de fofoca, Hollyscoop, Humphries acreditava que Kris Jenner havia planejado toda a sextape da Kim, e ainda fez ela refazer quando ela viu que a primeira não estava “bonita o suficiente”. Quando o TMZ trouxe o assunto para a irmã Khloé, ela respondeu “Isso é nojento e louco e provavelmente uma fantasia dele”.

Apesar de Kim ter superado o vídeo com sua carreira e vida pessoal, o comentário doloroso de Kris Humphries mostra a memória de muitos sobre o caso. Perez, por exemplo, não acredita que o vídeo tenha ajudado Kim a alcançar a fama. “Eu acho que a sextape realmente machucou Kim Kardashian.”, ele explica. “Eu não acredito que foi isso que a fez alcançar sua fama. Aqui está a razão pela qual isso machucou ela: Até Kanye aparecer, Kim sempre foi Kim Kardashian, a estrela do reality show que não conseguia deixar a sextape de lado. Assim que Kanye surgiu, ele repaginou ela e mudou tudo”.

Enquanto a imagem de Kim certamente tinha sua responsabilidade, a grande influência por trás de sua transformação, foi Kanye. Apesar de Kim e Kanye terem sido amigos por anos, a relação deles e seu casamento ajudou a validar Kim como muito mais que uma estrela de reality. Ela se tornou uma ícone fashion, musa de Kanye e uma businesswoman muito mais respeitada. De acordo com Perez Hilton, “No passado, Kim não vestiria roupas de grifes famosas, ela não seria convidada a eventos de moda e estava banida do baile do MET Gala. Recentemente, ela foi co-anfitriã do evento de NY, está sendo requerida em todos os eventos de moda e na capa da Vogue. Eu atribuiria tudo isso a Kanye West, deixando claro de que ela já tinha sua vida antes deles ficarem juntos”. A relação deles legitimou, para o grande público, porque Kanye era um artista de mérito e seu conhecimento em relação a ela, o que é um outro exemplo de como o sexismo tem a ver com a carreira dela. Mas Kim utiliza a plataforma de Kanye para elevar tudo o que ela faz. Por anos, as pessoas faziam chacota de Kim por ela nunca ter conseguido uma capa na Vogue. Mas ela conseguiu. Ela mereceu, como ela mereceu todo o resto.

O vídeo nunca desapareceu. Na verdade, a mídia encontrou um jeito de trazer isso a tona em seu casamento. Em 2014, o assunto voltou a aparecer em uma entrevista, mas, dessa vez, era uma especulação entre Kim e Kanye. “Olha só, eu tinha 22 anos de idade.”, Kim contou a GQ britânica. “Eu nem entendia porque fazer uma sextape era algo tão escandaloso. Meu marido Kanye e eu temos uma vida sexual incrível. Então já que você tocou no assunto, se a fizemos ou não um vídeo íntimo, isso não é algo que eu gostaria que viesse a público. Eu nunca gostaria de cometer o mesmo erro duas vezes.

Quando o vídeo saiu, Kim poderia ter deixado isso arruinar sua carreira e sua imagem. Mas ela não deixou: ela se responsabilizou e tomou vantagem disso. Dez anos depois, é difícil olhar para Kim e ver apenas uma sextape. Nos últimos anos, celebridades como Lucy Hale, Jennifer Lawrence and Vanessa Hudgens foram vítimas de fotos íntimas vazadas. Mas ao invés desse assunto transformar suas imagens em vergonhas nacionais, o vazamento dessas fotos foram tratados como o vídeo de Kim deveria ter sido tratado: crimes sexuais e invasões de privacidade. “Se essa história tem alguma moral é como a nossa cultura viu o vídeo e disse: okay, isso não vai arruinar você”, Pappademas explica. “Eu acho que qualquer celebridade que tivesse vindo antes, isso seria diferente. Todo mundo tem nudes por aí, agora, e isso não era o caso em 1988.”

Mesmo que o público nunca saiba como o vídeo foi realmente vazado, um simples ‘Google pesquisar’ aponta para direções insanas de rumores. Mas uma pessoa que sabemos que fez algo foi Kim. Em junho de 2015, ela confessou a Rolling Stone que sabia que a identidade da pessoa que vazou. “Nós temos um contrato de confidencialidade, então eu não posso falar sobre isso.” E se a reação dela ou de sua família são alguma indicação de quem fez, a escolha foi feita de guardarem em segredo.

Enquanto foi o vídeo que a deu reconhecimento, foi ela quem construiu sua marca. E 10 anos depois… que marca, não é mesmo?

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
7

Comments

comments