Daenerys Targaryen: uma deusa, uma louca, uma feiticeira

Daenerys
Emilia Clarke como Daenerys - Foto: Game of Thrones/Reprodução
  • 46
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
    49
    Shares

A mãe dos dragões, Daenerys, é a maior aposta na guerra pelo Trono de Ferro e uma das melhores personagens de Game of Thrones – senão a melhor.

Daenerys Targaryen e seu falecido irmão, Viserys, formavam o que restava do glorioso e desastroso legado dos Targaryen. Os herdeiros estavam sem poder nos sete reinos, com a fama de loucos selvagens e sob o risco de morte por seus inimigos. A irmã sofria constantemente sob a tutela de Viserys que possuía um temperamento instável, agressivo e autoritário. De modo que, qualquer um não apostaria nada em Daenerys no início da série.

Daenerys: uma louca

Nas primeiras aparições em Game of Thrones, ela mostrou-se muito tímida, introvertida, confusa e sem aspirações. Os banhos em água fervente pareciam hábitos de uma pessoa transtornada. A incoerência com a realidade continuava durante o casamento, que foi arranjado pelo irmão com um selvagem de uma tribo local.

Sob posse de três ovos de dragões e com o título de Khaleesi, sua independência tornou-se consequência.

Daenerys: Uma deusa

A estima que ganhou de seu povo não a resguardou da inocência que uma adolescente ainda possui e, este, foi o veneno que a colocou diante de uma de suas maiores derrotas: a incompreensão de seus ideais e a morte prematura de Khal Drogo, seu companheiro.

Porém, como uma fênix, o fogo serviu restabeleceu Daenerys que esboçou sua volta por cima.

Daenerys: uma feiticeira

Se haviam dúvidas o fogo as consumiu, e Daenerys dava os primeiros passos de uma longa trajetória até o recém desembarque em Westeros. Os poderes de Daenerys não impressionam unicamente no misticismo, as habilidades que ela possui em ampliar seu legado e disseminar seus ideias é algo espantoso.

A personagem se diferencia totalmente de qualquer representante de outra casa. Seu olhar para o futuro a distancia da tradição e do conservadorismo familiar dos Stark, ao mesmo tempo em que sua noção melhorada de ética a torna um contraste aos Lannisters. Ela carrega em si uma habilidade estratégica para lidar com conflitos, assim como, aprende facilmente os costumes, língua e cultura do lugar onde está. Os ideias políticos também são pontos fortes. Quem cruzou o caminho da quebradora de correntes ganhou sua liberdade ou sofreu por financiar ou se beneficiar da escravidão.

Apesar do contato com sua família de origem ter sido raso, a herdeira dos Targaryen possui muitas semelhanças com seus ascendentes: Como a inclinação a política, o apreço pelo poder e a confiança por vezes arrogante. A obstinação e inflexibilidade são outras características aparentemente herdadas por Daenerys.

Ela é demais!

Daenerys Targaryen, Filha da Tormenta, a Não Queimada, Mãe de Dragões, Rainha de Mereen, Rainha dos Ândalos e dos Primeiros Homens, Quebradora de Correntes, Senhora dos Sete Reinos, Khaleesi dos Dothraki, a Primeira de Seu Nome.

No caminho até aqui Daenerys acumulou títulos que se multiplicam em seguidores e, aliás, poucas vezes ela precisou mover uma espada ou a chama de seus dragões.

Enquanto parece que o reinado dos Lannisters se põe com o sol nos Sete Reinos, a majestade de Daenerys se espalha como boa nova igual uma Aurora Boreal.

Comments

comments

Do Freud ao Pop. Paulista radicado em São Paulo. 23 invernos de vida. Dizem que sou de Leão, mas o quanto disso importa quando Beyoncé é a minha religião. Amém Beysus! Psicólogo apaixonado por Cultura Pop. Viciado por livros e séries.