in ,

27 anos sem Cazuza, o nosso poeta do rock

No dia 7 de julho, lamentamos 27 anos da partida de mais um dos meus grandes ídolos, Cazuza.

Como diz uma das suas melhores músicas, que está no que considero seu melhor vinil, é necessário que intercedamos por essa gente careta e covarde que ainda nos assombra! Quase 30 anos desde o Blues da Piedade e ainda não aprendemos…

Há algum tempo vinha circulando na internet um texto que, basicamente, criticava pessoas que se consideravam fãs do poeta do rock pelas suas atitudes libertárias. Mas eu assumo que meus ídolos têm falhas. Afinal, quem é que não prefere Toddy ao tédio?

Foto: Divulgação

Como muitos outros artistas corajosos para ser quem são, o perdemos para o infortúnio que às vezes a vida nos reserva; ele mesmo nos dizia que seus ídolos haviam morrido… Uma pena.

Porque o Brasil ainda não mostrou a sua cara, a piscina ainda está cheia de ratos e nós ainda não passamos a amar exageradamente como ele… e era necessário que aqui estivesse para cantar o que pensamos sobre o mundo. Faz falta.

Para matar a saudade, ouça um pouco mais com as músicas usadas como referência para o texto:

Em tempo: conheça a Sociedade Viva Cazuza, instituição mantida pela mãe do ídolo, Lucinha Araújo, que visa prestar assistência a crianças e adolescentes carentes com AIDS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 indiretas que Taylor Swift deixou em ‘Look What You Made Me Do’

13 clipes incríveis que foram esnobados pelo Video Music Awards