O terror não óbvio de Junji Ito em 'Fragmentos do Horror'

fdh2
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

O mangá Fragmentos do Horror, de Junji Ito, é uma coletânea de oito contos ilustrados que apresentam narrativas de terror, mistério e erotismo. As tramas são solidamente construídas, bem como as relações entre os personagens, entrecortadas pelo mundano e o fantástico. Na obra de Ito, o leitor não é onisciente, ele avança na leitura conforme os próprios personagens.

É possível notar como as relações sobrenaturais atuam como uma espécie de escapismo das relações mundanas.  Como em Tomio – Gola Rulê Vermelha e Suave Adeus, em que o casamento é questionado. Já em Monstro de Madeira, os pilares do relacionamento entre pai e filha são expostos  após a chegada de uma estranha visitante. Dissecação-Chan e Pássaro Negro ilustram como o medo poder afastar e unir duas pessoas, mesmo que tragicamente. Já Magami Nanakuse trata de uma doentia relação entre uma escritora e uma fã.

Em Tomio – Gola Rulê Vermelha, o matrimônio entre Madoka e Tomio é abalado quando este se apaixona por uma taróloga. Na verdade, a mulher quer, literalmente, a cabeça de Tomio e, para não perdê-la, o rapaz precisa mantê-la entre os braços o tempo todo, sentindo a fragilidade de ossos e ligações. O desespero de Tomio e os métodos da bruxa para obter a cabeça dele conferem um alto grau de agonia para quem está do outro lado do livro.

Suave Adeus não tem imagens de decapitações e insetos inseridos por baixo da pele, ao contrário de Tomio. O casamento de Riko e Makoto é posto a prova quando Riko descobre que o marido vê outra mulher. Ao interpelá-lo, Riko descobre que faz parte de um ritual da família de Makoto em que as almas dos mortos são trazidas de volta. Este é um pequeno drama psicológico na qual a jovem esposa de Makoto que se dedica a fim de integrar-se à família do companheiro, descobre mais sobre si mesma e a respeito dos motivos que a fizeram não ser bem-vinda na casa.

O erotismo é um dos elementos fortemente presentes em Fragmentos do Horror, por mais bizarro que ele se revele. Em Monstro de Madeira, Manami, uma estudante de arquitetura se instala numa imponente tradicional e belíssima casa japonesa, abalando a relação entre Megume e o pai. Enquanto a menina alerta sobre a estranha hospedeira, o pai, parece cada vez mais encantado por Manani. Após o casamento entre os dois, Megume assiste, acidentalmente, madrasta tendo relações sexuais com a casa. E o pior: a própria construção parece gostar.

Os contos ilustrados mais sinistros são Dissecação-Chan, uma mistura de escatologia e terror psicológico, e Pássaro Negro, composto pelos mesmos elementos, somado a certa dose de erotismo.

No primeiro, o jovem estudante de medicina Tatsuhiro reencontra-se com a amiga de infância, Ruriko. Numa aula, ela se finge de morta e pede para ser dissecada, mas a farsa é revelada. A partir disso, ele relembra dos tempos em que os dois dissecavam animais, como ratos e sapos, juntos.

Pelas ruas, Ruriko pede que a dissequem. Ao dar de cara com Tatsuhiro, ele se recusa a fazê-lo e relembra um episódio, anos atrás, que o motivara definitivamente a fugir da garota. Mais tarde, quando o próprio Tatsuhiro passa a dar aulas na universidade de medicina, o corpo de Ruriko aparece mais uma vez, agora sem vida, mas repleto de marcas de bisturis. Ao finalmente dissecá-lo, os estudantes se deparam com uma estranha e bizarra constituição visceral feita das vidas que ela ceifou ocupando o lugar de seus órgãos.

Já em Pássaro Negro, Kume encontra Shiro em uma trilha. Shiro está com as pernas quebradas e, no hospital, como não tem ninguém para avisar, pede para que Kume o acompanhe. Os dois são visitados por uma estranha entidade, hibrido entre pássaro e mulher que debruça-se sensualmente sobre o corpo de Shiro e deposita sangue e carne humana em sua boca. Assustado, Shiro conta a Kume que aquela figura fora responsável por mantê-lo vivo provendo alimentos durante o acidente.

O pássaro continua a visitá-los até que de repente desaparece. Sua última aparição é quando os dois amigos se despedem. No entanto, a descoberta de que a carne e o sangue que haviam alimentado Shiro pertenciam ao mesmo, provoca em Kume o desejo de saber o que houve com o amigo.

Magami Nanakuse é a história mais fraca e superficial da coletânea. A trama é baseada numa temperamental escritora de sucesso cujo nome batiza o capítulo. Ela tem a capacidade de fazer com que as pessoas ao redor reproduzam seus tiques e, por conseguinte, se inspira nos tiques mais bizarros para compor seus best-sellers. O drama de Koketsu, a protagonista (e vítima) da vez é rapidamente explorado, sem submergir com profundidade nas implicações psicológicas e fantásticas como ocorre nas outras histórias da compilação.

De forma geral, Fragmentos do Horror apresenta oito incríveis contos ilustrados que são um deleite para apreciadoras de terror, mistério, suspense e histórias bem construídas. Os desenhos extremamente vivos e a carga psicológica dos personagens, tão bem desenvolvidos em seus universos, conferem ao sobrenatural maior dramaticidade.

Esta obra marca o retorno de Junji Ito como mangáka após um hiato de oito anos. O artista tornou-se mundialmente conhecido com Uzumaki, lançado no Brasil em 2006, pela Conrad. As inspirações do autor são H.P Lovecraft, Yasutaka Tsutsui, Kazuo Umezu e Hideshi Hino.

No país, Fragmentos do Horror é uma das estreias da editora Darkside na publicação de mangás e HQs. A edição é de altíssima qualidade e em capa dura.

Fragmentos do Horror

Junji Ito

Darkside

2017

R$ 35,90

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comments

comments