in ,

Anitta dará mais um xeque-mate ao protagonizar ‘Tropa de Elite 3’

Anitta dá um novo passo a sua carreira e deverá ser a nova protagonista da terceira sequência de Tropa de Elite, pelo menos é o que confirma o colunista Léo Dias do jornal O Dia. A informação, mesmo que ainda sem confirmação da artista, levantou diversas dúvidas sobre quais os interesses de Anitta em investir dinheiro – ela entraria como sócia da produção – e tempo arriscando por caminhos que ainda não a observamos enveredar.

Em 2007, Tropa de Elite foi alvo de polêmica por ter sido o primeiro filme brasileiro a ser pirateado e disponibilizado na internet meses antes de ser lançado nos cinemas. Uma pesquisa do IBOPE revelou que aproximadamente 11 milhões de brasileiros assistiram ao filme de forma ilegal, o que é muito chocante. O que mais assusta é que mesmo assim o fato não impediu que Tropa de Elite fosse um grande sucesso e estresse em 1º lugar nas bilheterias do Brasil. Grandes discussões foram geradas após o lançamento, como a expansão do tráfico de drogas, a prática de tortura e a violência dos policiais do BOPE contra os suspeitos. O filme ganhou o prêmio de Melhor Filme no Festival de Berlim, em 2008, e foi uma das produções brasileiras mais bem repercutidas internacionalmente até hoje.

A primeira versão teve um êxito tão grande que rendeu a continuação. Tropa de Elite 2: O Inimigo Agora é Outro (2010) se tornou o filme brasileiro mais visto nos cinemas. Inclusive, foi elegido o representante brasileiro a indicação ao Oscar de Melhor Filme estrangeiro. Os dois filmes foram estrelados por Wagner Moura, que em seguida foi convidado para estrelar a série Narcos (2015) na Netflix, onde alcançou respeito de críticos no mundo inteiro.

Há tempos Anitta trabalha incansavelmente para consolidar sua carreira além das fronteiras brasileiras. No Brasil, em cinco anos, ela conquistou números impressionantes e se tornou um dos maiores nomes pop (se não o maior) da história do país. E a grande questão é que desde o começo de sua carreira, ela apresentou-se uma artista completa. Cantora, dançarina, empresária, apresentadora, diretora, tudo! Sua habilidade de autogerenciamento só lhe trouxe bons frutos, o que não nos dá muita liberdade para questionar seus atos e trabalhos.

Anitta é daquelas que não dá tiro para o alto. Se ela entrou na produção, deixou de lado o cachê de 200 mil reais por show para protagonizar a sequência da franquia de maior sucesso no país, é porque ela tem a certeza de que fará um trabalho de qualidade. Embora tenha se provado como praticamente tudo, o seu lado atriz ainda não ganhou espaço da mídia. Ela já deu diversas entrevistas dizendo que toparia fazer novelas de Aguinaldo Silva e que estaria aberta a convites como atriz. Ela já havia estrelado nos filmes “Copa de Elite” (2014), “Didi e o Segredo dos Anjos” (2014), “Break Through” (2015) e “Os Meus 15 Anos” (2017). Os dois primeiros foram pontas que não a deram liberdade para mostrar sua capacidade de atuação. Já os dois últimos, ela fez o papel dela mesma, assim como em alguns especiais de televisão, que também não mostram suas habilidades cênicas. Dessa vez, ela terá a oportunidade, pela primeira vez, de ter uma personagem de destaque.

Larissa será uma policial de UPP (Unidade de Polícia Pacificadora), no Rio de Janeiro, que trabalha na área apenas por necessidade financeira. Depois de dois filmes com o protagonismo de Wagner Moura como Capitão Nascimento, Larissa será uma personagem forte, feminina e de personalidade. A personagem será uma quebra de tabú por ter uma protagonista mulher em um ambiente extremamente machista. Mais uma vez, a cantora estará quebrando padrões e terá a oportunidade perfeita para exercer seu feminismo e seus discursos poderosos.

A personagem tem tudo para ser o grande trabalho de Anitta. Afinal, ela veio do subúrbio carioca, onde conviveu com a violência diária e a realidade de Honório Gurgel. Não será apenas uma atriz interpretando um papel estudado. Anitta, que inclusive tem o mesmo nome de batismo da personagem, poderá passar transparência e veracidade com facilidade.

Comentários a parte, uma das exigências da cantora como sócia é que as gravações comece depois da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Também de acordo com Léo Dias, Anitta vai se apresentar como atração musical ao lado de J Balvin no evento e depois seguirá em turnê conjunta com o astro latino. Ou seja, ela ainda pretende mover mais pauzinhos até Tropa de Elite 3 estrear.

Está mais do que provado por A + B que o orgulho e o tesouro nacional, Anitta, não dá tiro para o alto, sem mirar. Se achávamos que tivemos um Xeque-Mate com Vai Malandra, na verdade, ela acabou de dar seu tiro certo com Tropa de Elite 3.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

GRAMMYs se mostra sexista, mesmo com movimentos como Time’s Up e #MeToo

O que esperar da apresentação de Justin Timberlake no Super Bowl LII?