in , ,

Quais os segredos que fazem a série “La Casa de Papel” ser tão viciante

La Casa de Papel, que está disponível na Netflix, é uma das séries que mais chamou atenção do público no início desse ano. E não seria diferente, a série espanhola é um clássico policial: Oito bandidos com qualidades específicas são reunidos para realizar o maior roubo da história mundial ao invadir a Casa da Moeda da Espanha. Utilizando codinomes baseados em cidades, o grupo decide adentrar na casa da moeda e fabricar seu próprio dinheiro, porém para tal feito, um grande cérebro ficou do lado e ganhou muito tempo com a polícia. A série recebeu a direção de Álex Pina.

La Casa de Papel foi lançada originalmente pelo canal de TV espanhol, Antena 3, no dia 02 de maio e teve o último episódio exibido em 23 de novembro. Já na Netflix, os episódios tomaram outras formas. O serviço de streaming adquiriu os direitos de distribuição da série espanhola e reeditou os 9 primeiros episódios, transformando-os em 13 partes de aproximadamente 45 minutos. A ideia da reedição foi diluir os episódios de La Casa de Papel e dar mais fôlego a produção, já que cada título possuía em média 80 minutos de duração e poderia se tornar um tanto cansativo. Os próximos episódios que vão finalizar a temporada de La Casa de Papel estarão disponíveis na Netflix em 06 de abril.

O sucesso da série vem acompanhado do que parece uma enxurrada de séries policias, ou melhor dizendo, séries com um toque de suspense. E os exemplos de lançamentos que seguem esse perfil são diversos. Citamos a intrigante The Sinner, que através de uma abordagem psicológica explica o quão cruel é um trauma do passado; Mindhunter que tentar encontrar explicações e desenhar a mente de assassinos cruéis; e até DARK, que mesmo se tratando sobre viagem no tempo, traz o mistério e as investigações na camada secundária. Mas o que torna La Casa de Papel ganhar tanto destaque.

A série reúne diversos de ingredientes que já foram utilizadas de outras formas por produções distintas. Por exemplo, a genialidade do Professor (Álvaro Morte) pode ser comparada a inteligência de Michael Scofield, de Prison Break. O personagem da série de 2005, interpretado por Wentworth Miller, era um gênio e não necessariamente do crime. O personagem durante meses estudou o local o qual “invadiria” – na verdade, ele foi preso como parte do plano – e sabia exatamente o funcionamento da prisão. O Professor, que é o gênio da série, durante meses se dedicou em entender a rotina do local e sempre estar um passo a frente de qualquer imprevisto. O anti-herói também é uma das características de La Casa de Papel que relembra muito outras séries recentes, como por exemplo Orange is the New Black. Em ambas as histórias nossas torcidas e gritos de vitória se voltam para aqueles que em histórias convencionais seriam os odiados. Durante a série espanhola os momentos de tensão são justamente aqueles que deixam os assaltantes em apuros, que colocam todo o plano em risco.

Também há a reunião de personagens que cativam o público, seja pela autenticidade, pelo mistério, pela inteligência ou crueldade. Começamos pela Tóquio, que é interpretada pela atriz Úrsula Corberó. A personagem é um dos destaques da série e chama muita atenção pelo seu estilo diferentona. Aliás, a Tóquio foi inspirada na personagem Mathilda, interpretada por Natalie Portman em O Profissional, desde o corte de cabelo ao seu modo de agir. O personagem Berlim, que é interpretado por Pedro Alonso, também é outro ponto importante para série. De personalidade fria, que nos lembra diversos personagens sádicos das histórias fictícias, ele também serve como alívio cômico e arranca aquela nossa “risada proibida”.

Outro ponto que dá ainda mais tempero a La Casa de Papel são as diversas camadas de histórias que formam a trama principal. Junto ao grande assalto na Casa da Moeda espanhola, há a questão do chefe adúltero, que tem um caso com a secretária, a gravidez indesejada, o bullying na escola, a Síndrome de Estocolmo e por aí vai. De certo modo, podemos ver na série europeia diversos pontos que já são comuns, por exemplo, nas telenovelas. Os diversos núcleos contém cliffhangers o suficiente para manter preso, e sempre atento, o espectador durante os 50 minutos de episódio.

Atualmente, La Casa de Papel é considerada a série de maior sucesso na Espanha e talvez tudo isso não tenha sido planejado. Porém, a série soube aproveitar dos principais ingredientes para se garantir como a mais vista nos últimos meses.

Assista ao vídeo que fizemos sobre a série La Casa de Papel. Aproveite e inscreva-se no nosso canal no Youtube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

‘A Forma da Água’ é um conto de fadas para tempos problemáticos

Tudo sobre as novas queens da 10ª temporada de Rupaul’s Drag Race